segunda-feira, 25 de julho de 2016

Cuzco, O Umbigo do Mundo

Ao ouvir a frase “A cidade da qual confluíam todos os caminhos” nos podemos achar que se trata de Roma, mas esta frase se refere à Cuzco “O Umbigo do mundo”. Roma exerceu um gigantesco domínio na Europa e a frase que demonstra o poder desta cidade surgiu por volta do século I d.C., quando Roma era vista como o Umbigo do mundo tendo cerca de 80 mil Km de estradas que poderiam conduzir seus cidadãos por grande parte da Europa, de forma que todos os caminhos acabavam cruzando com a cidade e eram dominados pelo império romano, esta situação deu origem a frase “todos os caminhos levam a Roma”, ou seja, é impossível escapar do Império Romano que se fazia presente na Europa.   
Uma frase semelhante surgiu no século XV, desta vez na América do Sul no império Tawantinsuyo, mais conhecido como império Inca. A capital deste império era Cuzco, que na língua local significa “umbigo do mundo”, semelhante a Roma ela era o centro administrativo e possuía também uma lenda de fundação, Cuzco foi fundada pelos primeiros Incas enviados pelo deus sol para civilizar o homem, o mito diz que o deus entregou a seu casal de filhos uma barra de ouro e deu ordem para que vagassem pelos Andes e em todo local que parassem tentassem cravá-la no solo, onde a barra afundasse com facilidade seria o local que a capital deveria surgir, pois lá era o “Umbigo do mundo”, séculos depois os Incas podiam afirmar que Cuzco era “a cidade da qual confluíam todos os caminhos”, já que ela era o centro do império.
Cuzco esta a cerca de 3.100 metros de altitude em um vale rodeado de montanhas, a cidade é divida em Hunan Cuzco (parte alta), hurin Cuzco (parte baixa) e uma bela praça quadrangular, desta saem quatro grandes caminhos que levavam para o restante do império a palavra tawantinsuyo significa exatamente “quatro partes”, ou seja, a totalidade do império. Hoje grande parte dos templos de Cusco estão destruídos devido a guerra civil e a conquista que aconteceram no século XVI, mas a cidade abriga ainda muitos mistérios que atrai pesquisadores de todo mundo.  
Um deles é o templo das virgens do sol, o acllahuaci “casa das escolhidas” um local que abrigava cerca de 1500 mulheres virgens dedicadas ao deus inti-viracocha, essas moças eram escolhidas pelos nobres e retiradas de seu lar com oito anos, no decorrer de sua estadia no templo elas ficavam trabalhando com tecidos e artesanato, não de uma forma escrava e sim como um passa tempo e como uma forma de dedicar suas vidas ao deus sol, os cronistas contam que elas não tinham contato com homens, pois deveriam ser possuídas pelo próprio deus sol, logo viviam uma vida repleta de rituais e abundancia já que eram as esposas do Inti.
Outra curiosidade era o engenhoso sistema de comunicação e transporte, as cidades eram ligadas por gigantescas estradas muito bem alinhadas e organizadas, elas chegavam a possuir 1.600 Km de extensão e ligavam a Cuzco e a outras regiões, como Quito outra cidade de grande importância para o povo.
As crônicas espanholas relatam que as estradas eram extremamente limpas, pois o ato de tropeçar era um sinal de mal pressagio e por isto eram muito cautelosos nas estradas, os incas viajavam e transportavam diversas mercadorias por elas e quando acontecia algum imprevisto elas serviam para conduzir mensagens. Para a transmissão de mensagens os Incas usavam as Chucla, nome dado a pequenas casas construídas na beira da estrada onde viviam os mensageiros denominados Chasquis que eram treinados para serem velocistas, pois as mensagens eram levadas de forma oral até o imperador.
Estes mensageiros ficavam sempre em alerta e quando surgia uma mensagem eles saiam correndo até a próxima Chucla e sem parar de correr o outro mensageiro acompanhava o primeiro até ouvir toda a mensagem e entende-la, só então continuava o percurso até a próxima chula onde um novo mensageiro faria o mesmo até a mensagem chegar em seu destino, eles não perdiam nem um segundo apenas corriam.
Muitas vezes estes homens eram interceptados por traidores, mas mesmo assim este era o meio de comunicação mais usado, os mensageiros chegavam a percorrer setecentos quilômetros em três dias e para a época isto era algo muito satisfatório. Quando a mensagem era mais simples, algo como uma invasão ou motim, os incas utilizavam sinais de fumaça e pela noite alguns sinais luminosos com tochas altas como faróis.
Esta cidade possui diversas outras curiosidades e engenhosidades que a tornavam a Roma da América do Sul o que nos mostra o grau de complexidade cultural que foi alcançado nos Andes, o propósito do artigo não é apenas comparar duas grandes cidades com a intenção de rivalizar a cultura americana com a europeia, mas sim demonstrar mais uma vez,  como eram grandiosa as civilizações que possuíamos antes da conquista e que elas não deixavam nada a perder para as demais civilizações do mundo.
Grande Abraço
Equipe Marcelo Lambert

Jonatan Tostes

Nenhum comentário:

Postar um comentário